Três mulheres e uma garrafa de champanhe

A vida imita a arte, clássica frase que retrata que certas momentos são muito comuns mesmo para mulheres e homens de outro país…Pois bem, todo aquele papo de que homens não servem para nada, não deve ser sustentado!

Além da imensa capacidade de nivelarem nossos hormônios estes seres são capazes também de por exemplo abrir uma garrafa de champanhe!! Imagine a cena [real] de que três lindas jovens de 20 e tantos anos saem para festejar. Elas sabem que vodka ou uíque possuem um efeito colateral pertubador, e tendo passado por isso recentemente, decidem aderir à elegante champanhe, ela que tanto glamuor traz aos que seguram taças espumantes [consideremos aí o fato de que era, na verdade, mais barato também ;)], pois bem, sem delongas: como abrir a garrafa sem causar estragos???Nesse momento devo admitir, ter um grandão ao meu lado faria bem, ou mesmo um baixinho musculoso já resolvia, mas só nesse caso!!!

É Sigumund Freud já dizia que tudo aquilo sobre o qual não podemos falar torna-se sintoma, portanto FALEMOS, para que devassas e santinhas não tenham seus desejos transformados em psicoses…

Estive pensando o fato da champanhe não está isolado, embora queiramos. Tem a ver com todo o mix de incertezas e energia que a conquista e, mesmo somente, a presença de outro do sexo oposto causa em nós. Resumindo:gostamos de ter alguém para nos completar, não importa que momento seja ou em que circuntancias sejam, sempre há um momento assim.

Que mais estive pensando?!

Etiquetas sexuais, elas existem??

Sim, MAS PORQUÊ???

Afinal este não deveria ser o momento de liberdade e entrega?? E mais, até que ponto, em termos de TOLERÂNCIA ZERO, a bebida pode ajudar?? Será que com a nova Lei, além de menos acidentes e mortes também haverá menos sexo e nascimentos indesejados????

Bom, mas isso fica como assunto para o próximo post…colaborem com o tema =)

Tá na cara, não dá para esconder =D

Para quê se arriscar hein?? Se os mestres taoístas Mantak Chia e W.U. Wei mostram no livro Reflexologia Sexual, um guia para os que se amam,  como traços físicos determinam algumas atitudes de homens e mulheres. Por meio de estudos eles conseguiram determinar a compatibilidade afetiva e o apetite sexual.   

Confiram e não se deixem enganar 😉
 
 
Lábios
Os lábios são participantes ativos em qualquer paixão. De acordo com os autores, o lábio superior está mais ligado à natureza de dar amor, enquanto o inferior está relacionado ao ato de receber. Assim, homens e mulheres com lábios superiores mais carnudos têm personalidades mais propensas a dar carinho. Já as pessoas cujos lábios inferiores se destacam, preferem receber afeto. Apesar de ter os lábios inferiores mais avantajados, nenhum homem se importaria em dar amor à Sandra Bullock.
Dentes
Ainda falando de boca, os dentes também revelam características interessantes. O tamanho e a disposição deles indicam dois fatores (com a vantagem de ambos serem positivos): personalidade estimulante ao sexo, nos casos de dentes grandes, e órgãos genitais bem dispostos, que proporcionam prazer ao parceiro, nos casos de dentes pequenos. A explicação traz algum sentido à rivalidade mantida entre os fãs de Julia Roberts e Nicole Kidman – a primeira dona de um largo sorriso, enquanto Nicole encanta pela discrição.
Olhos
Não é a toa que a troca de olhares, aliada a algumas piscadelas, normalmente faz sucesso no início da paquera. Os olhos funcionam como guias do impulso sexual, basta atentar ao tamanho deles em relação ao rosto: quando grandes, indicam bons amantes, normalmente pouco afeitos à sedução verbal. Por isso, é tão comum encontrar pessoas de aparência superexpressiva, mas muito introspectivas. Trata-se, no fundo, de uma estratégia (ainda que inconsciente), que privilegia a manifestação de desejos e sentimentos por meio do olhar, em vez das palavras. Já o olhar fininho e sorrateiro, como o de Richard Gere, disfarça a personalidade mais racional de seus donos.
Sobrancelhas
Até as sobrancelhas têm seus segredos. Mais especificamente, o espaço entre elas. Se a distância entre uma e outra for de mais de dois dedos indicadores, significa que o homem ou a mulher tem forte impulso sexual. Mas se controle e não saia correndo para medir a distância entre as sobrancelhas do Keanu Reeves, caso o encontre pelas ruas, algum dia – mesmo porque, no caso dele, a régua é dispensável.

Orelhas
Os pontos erógenos (que provocam excitação) das orelhas são velhos conhecidos de muita gente. Mas poucos sabem dos segredos de personalidade que podem ser revalados por essa parte do corpo. Orelhas finas e pequenas são sinais de potencial sexual mais fraco, ao contrário das grossas e carnudas – atributo que só reforça o charme do veterano Sean Connery, por exemplo.

Nariz
Mulheres com nariz fino, magro, ossudo ou pontudo têm personalidades marcantes, tendendo a ser mais sensíveis e nervosas. Também são consideradas mulheres naturalmente mais lascivas, segundo os autores do livro. Tese comprovada pela cantora Madonna, que coleciona um bom catálogo de ex-namorados. Já as mulheres de nariz pequeno e achatado tendem a ser mais afetuosas.

 

 

 

 

 

Polêmica: Mulheres conquistaram seus direitos ou os homens é que perderam seu espaço?

Convenhamos que o prorama da Radio Gaúcha teve uma temática questionável, não por haver dúvida, mas pelo tema tratado. Com o próprio apresentador, Lauro Quadros diz é não apenas polêmica, mas provocativa.

As mulheres têm conquistado seu espaço, se arriscado, apostado e investido, principalmente em suas carreiras. Diferenças físicas e sentimentais não podem ser ignoradas, pois há sim diferença! Contudo, do viés da capacidade, não há diferença, a história já vem provando isso.

Bom, este foi um pequeno adendo sobre a nossa conquista de espaço.

 

Agora sim que eles não mudam…

“De acordo com um estudo mexicano, além dessas características, esses homens são também egoístas e agressivos, adotando uma postura mais predatória quando partem para a conquista, o que pode aumentar suas chances de êxito.

Os cientistas da Universidade de Estadual de Las Cruces entrevistaram 200 estudantes homens com objetivo de avaliar suas personalidades, vidas sexuais e comportamentos nos relacionamentos amorosos. “

Bom este é apenas um trecho da matéria do site BBC, que diz que os metidos tem mais chance com as mulheres. Humm…revendo a minha lista pode-se dizer que sim, eles tem seu charme… Mas não caia em tentação [vez ou outra pode, até pq são sempre os que acumulam maior experiência…], enfim como a própria matéria diz:

“É uma característica universal, que transcende as culturas. Os metidos se envolvem mais em relacionamentos de curta duração”.

“Eles querem conquistar parceiros de outras pessoas para um caso passageiro”.

Ou seja, se está a fim de uma aventura, o que dificilmente queremos, este é o tipo certo, se não quer…bom não indicaria os tipo James Bond da vida 😉

 

Leia na íntegra: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/06/080619_homensacanasmulheres_fp.shtml

Para tudo há um começo!

Se a força esta na palavra dita, a permanencia dela se dá pela escrita. Sem filosofar muito, quero escrever sobre a mulher, os relacionamentos e as pieguices e temerições que temos nessa era que tem muitos beneficios, mas é totalmente paradoxa: une as distâncias e afasta muitas relações humanas. Desvelações é um nome saido da cabeça de uma aspirante a jornalista que acredita que tudo já foi revelado, mas muito pouco está assimilado. Verdades já foram ditas, mas são ignoradas.

Para começar vou citar o texto de Paulo Sant’Anna, publicado em Zero Hora em 22/05/2001:

O amor e a paixão

O amor não sobrevive sem a paixão. E a paixão, sem o amor, está condenada a se saciar ou se exaurir pelo cansaço.

Dois pressupostos do amor: a afetividade (amizade) e a cordialidade (bom humor).

Dois pressupostos da paixão: a libido em plantão permanente (tesão) e o embevecimento físico (fetiche).

Quando concorrem na mente e no coração de uma só pessoa o amor e a paixão por uma outra pessoa, se forem bem-sucedidos (correspondidos), estamos diante da felicidade mais completa.

A paixão sozinha, sem o amor, é a felicidade ameaçada de extinção. O amor, sozinho, sem a paixão, é a felicidade ameaçada pela infelicidade anunciada, aviso prévio no bolso.

O amor só se enfastia pela prolongada ausência da paixão. Já a paixão só se enfastia pelo exercício prolongado da própria paixão.

Não existe paixão extensa ou duradoura, a não ser por clube de futebol. Nem existe amor efêmero, de curta passagem.

O amor deixa cicatrizes, a paixão deixa tatuagens. Quem recorda de um amor pretérito, sente remorso. Quem recorda de uma antiga paixão, sente orgulho: essa é a diferença básica entre os dois sentimentos.

O amor implica preferencialmente ternura. A paixão implica preferencialmente carnalidade.

As relações de amor são temperadas pela espiritualidade e regidas pela paz. As relações de paixão são sempre tempestuosas e marcadas pela concupiscência.

No amor, os amantes querem sempre estar juntos, não importa fazendo o quê. Na paixão, os parceiros só querem estar juntos para exercitar sensualidade.

Por essa profundidade do amor, é bastante mais séria a afirmação “eu te amo” do que a de que “estou apaixonado por ti”. Quem diz “estou apaixonado” não é levado tanto a sério: pela efemeridade da paixão.

Quem diz “estou amando” é encarado respeitosamente. Exatamente porque a paixão é um evento, enquanto o amor é um acontecimento.

Por essa diferença é que é possível a qualquer pessoa apaixonar-se diversas vezes. Enquanto que é quase certo que quem ama ama só uma vez em toda a vida.

“Pode alguém amar duas pessoas ao mesmo tempo?” é uma pergunta que se ouve muito entre o povo.

Se não se pode amar duas pessoas durante toda a vida, em tempos diferentes, como poderia ao mesmo tempo?

Pelo mesmo raciocínio, se é possível apaixonar-se por várias pessoas em espaços de tempo diferentes, é claro que se pode estar apaixonado por duas pessoas ao mesmo tempo.

E, também pelo mesmo raciocínio e pelo inteiro raciocínio desta coluna, pode-se estar amando uma pessoa e estar-se apaixonado por outra, ao mesmo tempo.

Por isso é que lá no início da coluna foi sentenciado que a felicidade mais completa é a de quem ama e nutre paixão pela mesma pessoa, num só tempo.